quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Busca por inteligência extraterrestre...no cinema

O que faz de um filme de ficção científica ser bom ou ruim? Certa vez surgiu a questão entre amigos do Instituto de Física e uma ótima resposta que surgiu foi: "ele deve ser plausível"!

Poderiamos acrescentar aqui também que uma boa ficção científica, tanto em formato de livro como de filme e etc., teria origem na mente de cientistas que se dedicam a divulgação das ciências, porém acredito ser esta não necessária. Basta ser bem assessorado!

É a partir destas divagações que recomendo aos leitores o filme "Contato", de Robert Zemeckis (USA, 1997), filme este que foi baseado no livro de mesmo nome, escrito pelo famoso divulgador científico e astrônomo Carl Sagan (1934-1996).

O mote da história é a busca da cientista Eleanor Arroway (Jodie Foster) por sinais extraterrestres. Sua dedicação e crença no projeto (SETI) é tão grande que enfrenta todas as forças "impeditivas" vindas do governo e dos meios científicos a fim de prosseguir com suas pesquisas até que o grande dia chega!

Mas afinal o que torna este filme tão interessante? Bom, além de sua produção e fotografia serem excelentes, surgem situações interessantíssimas, algumas que o grande público já pode conhecer, e outras que nem tanto.

Por ter sido escrito por um físico, o livro (e o filme), está baseado em conceitos físicos sólidos e é este mais um de seus pontos positivos.

Além disto, com as novas descobertas de planetas extra-solares, semelhantes em questão de tamanho a terra, e que antes eram totalmente desacreditados por grande parte da comunidade científica, torna o filme ainda mais instigante.

A polêmica Ciência X Fé

Este é um quesito interessante no filme, pois deve-se imaginar que um sinal vindo de uma civilização ou inteligência fora de nosso planeta abalaria as bases da fé em alguns casos e fortaleceria em outros, mas as contradições e conflitos seriam inevitáveis. Este clima é retratado de forma interessantíssima, incluindo ai os fanáticos, os oportunistas e as pessoas de "boa fé", ou seja, que realmente acreditam em algo.

Apesar do viés científico o filme nos dá margem para a reflexão, no mínimo, e como não dizer, para a especulação. Com certeza seria intrigante, na vida real, se tais contatos se estabelecessem, como talvez tão interessante seria a observação do comportamento da sociedade para tal fato.

Oportunismo

Um dos aspectos muito interessantes do filme, que acredito o grande público não deva conhecer, são os oportunistas, os esbusteiros infiltrados na ciência.

Talvez seja romântico imaginar que os ciêntistas e pesquisadores, por serem considerados mentalmente privilegiados, sejam seres quase perfeitos, honestos, verdadeiros o que em alguns casos não é verdade. Claro que temos em sua grande maioria pessoas com uma visão diferenciada e que acreditam em seus princípios porém, como todo ser humano, um cientista possui as inúmeras qualidades boas e ruins que todos nós temos, inclusive a inveja e a ganância.

O filme retrata bem o meio científico e os oportunistas, que muitas vezes "roubam" idéias e pesquisas a fim de ganhar fama dentro e fora da academia, as custas de pessoas de boa fé.

No filme o cientista que comanda os orçamentos das pesquisas se apropria da descoberta de Eleanor, pesquisa que anteriormente havia cancelado financiamento e que prosseguiu graças ao financiamento de um mega investigor.

No mundo real da ciência pode-se encontrar tais casos, porém ainda bem que o número dos que realmente trabalham pela ciência é muito maior que os embusteiros.

Recomendação

Contato é uma excelente indicação para todos aqueles que se encantam com a ciência, e mais especificamente com a astronomia (não confundir com astrologia). Tanto leigos quanto não leigos apreciarão o filme, se tiverem, é claro, um mínimo de abertura as novas idéias e a beleza do cinema.

Nenhum comentário: